Paulinha da Biola

UM BLOGUE INSUBMISSO, LEAL, SEM PLÁSTICAS E FRONTAL.

29.4.05

Ao Grande AMOR da Minha Vida

Um dia, amei um homem e por ele me sentii amada.
Foi a Droga que mo roubou e eu não pude fazer Nada...

Colocando-me no lugar de "Carlitos", o grande AMOR da minha vida e em sua memória, eu escrevo.
Tentei sempre entender a tua condição, embrenhei-me no teu ser, fiz do meu o teu "EU". Aquilo que eras e não querias demonstrar ser. Mas eu descobri... pena que tarde demais!
Por tudo o que vivemos, por tudo o que me contaste, por tudo o que contigo passei e te vi sofrer, por tudo o que me ensinas-te, percebi que o amor faz milagres. Lamento apenas que a nossa vida se resuma num poema de enorme saudade para mim.
É para vós, toxicodependentes, ou pessoas que se debatam com problemas de droga na família, esta mensagem. Todos os que estão vivos.
Nasci e fui feliz, até que alguém me conduziu
para um mundo diferente, ilusório.
E eu, por curiosidade segui em frente.
Tudo era bom, eu vivia na fantasia
em que estava envolvido e sem querer acordar.
Destrui a minha vida, quando a queria edificar...
Vendo que já pouco tinha a perder,
porque não cheguei a ter,
a fantasia virou terror e veio a solidão.
fiquei sofrendo sozinho.
Não podia arrastar comigo aquela que mais amei
e por quem chamarei na hora da morte:
"Paulinha, a minha velhota..."!
Hoje, já farto, sei que vou morrer,
mas peço a todos os que a consomem,
que a deixem de consumir.
É ela que nos consome...
Bem alto digam NÃO, aquela que é causadora
da nossa destruição,
DROGA MALDITA.

E foi como ele disse: "Tarde demais"... Nada mais pude fazer, a não ser tentar atenuar o seu sofrimento.
Não o desprezei nunca. Amei-o muito e por ele fui muito amada. Dei-lhe o meu colo sempre que dele precisava. Cumpri a promessa que lhe fiz, no dia que descobrimos ser ele seropositivo. Por causa da Droga fora contaminado com HIV. Dizia-me muitas vezes: "Amor, quando eu estiver na fase terminal, deixa-me morrer nos teus braços. Só assim morrerei mais tranquilo..."
Enquanto seu corpo esquelético, jazía no leito da morte do Hospital Egas Moniz, só eu sei o que sofreu, o quanto se arrependeu. Era já tarde... muito tarde.
Chegou ao fim da sua estrada de sofrimento, no dia 10 de Julho de 1999, com 32 anos. José Carlos, o meu "Carlitos", morreu nos meus braços... tranquilamente.
Para mim, perda irreparável, apesar de hoje sentir que, onde quer que ele esteja, sabe o que ainda sinto... para além das enormes saudades.

Portanto, "amigos" que apesar de apanhados na teia da droga não deixem que a SIDA vos mate. Tenham coragem e larguem de vez com esse flagêlo que não é só vosso consumidores. Lembrem-se que quem vos ama também sofre, sejam, familiares ou simplesmente amigos...
DIGAM NÃO À DROGA E SIM À VIDA...

10 Comments:

  • At 30/4/05, Anonymous Vasco Salles said…

    Queria tanto que o teu apelo fosse ouvido e seguido por todos os jovens! Queria mesmo!

     
  • At 1/5/05, Blogger Pecaaas said…

    Esta é uma situação que infelizmente acontece cada vez mais....Agora já é tarde...

     
  • At 2/5/05, Anonymous Your brother said…

    Um beijo à Paulinha da Biola, que faz os porcos colocarem a viola no saco. Dá-lhes magana, que o povo está contigo.

     
  • At 3/5/05, Blogger Pedro Namora said…

    Muito comovente este teu post. E sobretudo muito útil para quantos se debatem com o flagelo da droga: o teu testemunho pode fazer mais por eles do que mil discursos bem intencionados.
    Obrigado querida amiga: por seres uma pessoa tão bonita, solidária e corajosa.

     
  • At 5/5/05, Blogger Paulo C Fernandes said…

    Este teu blog é perfeito para aqueles que pensam que as tuas crónicas no "Crime" são escritas por outros, só porque são muito bem escritas e porque tu não és 'doutora', ou porque tu és uma mulher de bairro, ou sei lá porque tipo de preconceito...

    dá-lhe com a alma!!

    Paulo

     
  • At 10/5/05, Blogger Alte Pinho said…

    Minha querida amiga,
    Não preciso de reafirmar a profunda admiração que me mereces e constatar que se tivesses tido outras oportunidades poderias ser hoje tudo o que quiseses. Desde logo, uma engenheira das palavras, porque em ti jorram como rio revolto!
    Um grande abraço pela tua coragem

     
  • At 31/5/05, Anonymous Marta de Sousa said…

    Conseguiste arrepiar-me... mais uma vez entre tantas outras...
    Bastante comovente este post e bastante real, infelizmente. Espero que, de facto, este teu testemunho e essas palavras magoadas possam servir de exemplo.
    Beijo grande

     
  • At 18/12/05, Anonymous Maria Rita Vasconcelos said…

    Ana Paula Valente:

    Realmente,seu apelido faz-lhe justiça,pois a Ana é mesmo uma Mulher valente,grande,forte,sólida,
    justa e vertical...
    Parabéns pela sua coragem,lucidez e
    determinação.Houvesse um pouco mais
    de gente rija e de boa cepa,como a senhora e outras mais que bem conhecemos,e o mundo seria mais bonito e aconchegante,mais justo e equilibrado.
    Fiquei feliz por ter descoberto o seu blog.Jamais deixarei de visitá-lo e partilhar sua luta.
    Um grande abraço

     
  • At 5/10/06, Blogger zelusca said…

    parabens pelo teu post. chorei ao lê-lo.. passei uma situaçao semelhante com alguns promenores a menos e outros a mais.. a saudade é terrivel e ja la vao 2 anos que ele faleceu.. a droga é algo assombroso.. algo que nao devia ter sido criado

     
  • At 17/3/07, Anonymous Anónimo said…

    What a great site »

     

Enviar um comentário

<< Home