Paulinha da Biola

UM BLOGUE INSUBMISSO, LEAL, SEM PLÁSTICAS E FRONTAL.

4.5.05

Quando O Mar Bate Na Rocha...

Diz o povo e com razão: "Quando o mar bate na rocha, quem se lixa é o Mexilhão."

Apesar de eu pensar que fundamental, é o que não conseguimos dizer... Eu direi tudo o que me apetecer e que seja verdade verdadeira, em tempo real.
Poderão perguntar-me: porque o faço?
Responderei simplesmente: Porque sinto fortemente as feridas abertas na alma e sei quais as marcas mui dolorosas, deixadas por um passado que se fez recente com o escândalo da pedófilia na Casa Pia.
Se nunca fui de me calar, não é agora que o farei. Portanto, o "veneno" com que algumas "cobras cuspideiras" me têm tentado alimentar, aliciando-me com "golodices monetárias" e chorudas, só lhes servirá para que, a seu tempo, lhes dê a "bendita congestão" que tem vindo a ser anunciada desde Novembro de 2002, no mínimo! Porque no máximo (e acredito piamente), o mesmo veneno é que os poderá levar à "definitiva castração"... línguistica.

Tudo o que mora cá dentro e transporto numa memória de sofrimento, não é através de ameaças ou pressões, nem de acenos com gestos em sinal de "fecho-éclair" (como eu vi fazer ao "Bibi"), que me vão calar. Nem sequer vou meter os dedos à boca para vomitar. Acreditem, eu, até posso engolir "alguma coisita", mas por norma o que me mete nojo, não consigo digerir! É tudo uma questão de ter "Boa Boca"!
Antes de falar da Casa Pia, apresentei-me, neste meu espaço (que escrevo para vós), não tanto como sou, mas como tenho vindo a ser ao longo de uma vida. A partir de hoje, digo-vos, posso até falar muitas vezes de mim, mas vou falar muito mais de outros... Com certeza!

Como em tudo na vida, há um princípio. O principal da leitura é saber ler. Para se saber ler é preciso conhecer as letras. Seguidamente saber juntá-las convenientemente. Por fim, saber transformá-las em palavras. Agora, saber o significado das mesmas dentro de um (con)texto é mais difícil. Há palavras que, apesar de serem conhecidas, são pouco elucidativas, então se forem escritas, dentro (ou fora) de um contexto mentiroso, decifrá-las, digo-vos, que não é para todos... Só mesmo para aqueles que as conhecem muito bem ou para os que têm sede de saber, e por isso (estudam) recorrem ao dicionário.
Poderia começar este artigo de muitas maneiras, mas como estou com a minha veia irónica a fervilhar de raiva, vou tentar explicar o que certas palavras querem dizer para mim, nem que para isso tenha de recorrer a dicionários... estrangeiros!

Desculpem, se vos troco as voltas. O que tenho a dizer é complicado para explicar numa linha recta de A a Z. Também, para não vos cansar na leitura e eu não querer parecer ser, aquilo que não sou - professora de português - utilizarei as palavras desalinhadas, alfabéticamente. Mas, quem as souber intrepertar, verá que as ideias, essas, estão alinhadíssimas...

Então:
Porque o alfabeto começa pela letra A, escolhi a palavra, Abrantes.
Para além de ser o nome de uma zona de Portugal, é também nome de gente. Associando as questões, não consigo ver no nome da pessoa que conheço, a bela paisagem da zona que tanto gosto de visitar. Talvez por isso, hoje, sinta que há paisagens sombrias com um lado mais obscuro... algo que não consigo, ainda, muito bem explicar ao que se refere, mas... vou tentar.
Porque sou uma mulher de extremos, não consigo fazer a ligação de A (Abrantes) com a letra Z (ZORRO)! Desculpem-me, mas este personagem, era um justiceiro. A sério!... lembro-me de "ver os seus filmes" e aquilo que eu vejo, ninguém me desmente.
Faria com mais facilidade a ligação do nome a "coisas palpáveis". Por exemplo: à letra D (dinheiro), que segundo o dicionário é; moeda em metal ou papel - o que para o caso tanto faz. Importante mesmo é o numerário.
Da letra V - Viagens, ocorre-me falar das marítimas, porque tenho em mente o nome de um barco, que não sendo o Apolo (aquele muito falado por ser um "bem necessário" para a propagação da pedofilia em qualquer cais, comandado por um Raposo e que fazia muitas vezes escala em Portugal... navegou imenso por esses mares fora!), é o Rebelo. Ao contrário do que diz a história, este "barco" só ainda não afundou porque está bem seguro nas marés de Portugal (dos pequeninos e de norte a sul) e bem protegido pelo Ferro, que não ganha ferrugem, apesar de ter muitos rombos e estar já mesmo muito esburacado.
Da letra B - Bilhetes, "Bibi"... Bilhetes porque são pequenas cartas, que (foram trocadas entre gente que se conhecia muito bem mas diziam o contrário) começada a palavra pela letra C tem também relacionamento com Cartografia que, por sua vez, tem haver com Mapas! Quantos não foram feitos para guiar a investigação de Lisboa a Elvas, Lisboa/Estoril (linha de Cascais), Lisboa/Lisboa (Fetais, Forças Armadas, Restelo...), do Aeroporto para França, Holanda... até para os "States"!
"Bibi" porque é Carlos e tanto pode ser Silvino como Cruz... Para mim, "Bibis" são todos na generalidade. Não importa o nome próprio, ou a letra pela qual começa o mesmo!
Da letra G escolhi a palavra Granja.
Primeiro, porque olhei para uma garrafa de vinho do Porto (que tenho no meu bar e me foi oferecida num acto provocatório) e sei que a palavra também é sinónimo de Quinta. Eu conheço muitas para os lados de Alcobaça, mais própriamente em Alfeizerão. Pena é que em tão boas terras se "plantem" ervas daninhas que vão germinando e acabam por arruinar o bom nome e a qualidade (não do terreno) de vida das gentes que labutam com seriedade e muito sacrifício, do nascer ao pôr-do sol.
Pensavam que eu ia falar de Adelino Granja? Não! Talvez noutro "post" que a seu tempo fará mais sucesso. Prometo.
Há tanto para falar, tenho tanto para escrever... É como disse de início, não vos quero cansar na leitura. Hoje fico-me por aqui. Para gosto basta o cheiro e porque quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão, para não mexer e porque não me quero esticar muito mais, deixo-vos apenas este "CHEIRINHO" a maresia...

6 Comments:

  • At 30/5/05, Anonymous Anónimo said…

    Que facilidade tem em lidar com as palavras. Que facilidade tem em falar nas entrelinhas.
    Que facilidade tem em contagem de tempos.
    Com quanta facilidade nos vai contando verdades...
    Não desista paulinha, você é acima de tudo, "Uma Mulher do Caraças" sem máscara.
    Precisávamos ter mais mulheres como a "paulinha da biola" neste Portugal com tantos "mexilhões"...
    Bem haja

     
  • At 31/5/05, Anonymous Marta de Sousa said…

    Boa ideia a do abecedário...para a próxima completa-o =)
    Sim, de facto, existe uma certa dificuldade em entender certas palavras, frases e expressões. Mas de certo que muitos se reconhecem nas entrelinhas e cada vez mais o povo te entende e te apoia.
    Como eu! Beijo

     
  • At 30/11/06, Anonymous Anónimo said…

    Cool guestbook, interesting information... Keep it UP
    »

     
  • At 3/2/07, Anonymous Anónimo said…

    Very nice site! »

     
  • At 3/3/07, Anonymous Anónimo said…

    What a great site » »

     
  • At 16/3/07, Anonymous Anónimo said…

    best regards, nice info film editing schools

     

Enviar um comentário

<< Home